A importância das premissas de integração B2B e de transferência de dados

O processo de transferência de dados é, muitas vezes, compreendido como simples pelas áreas de negócio para viabilizar a entrada de um novo cliente, de uma nova transação bancária, de um novo parceiro comercial estratégico ou mesmo atender,  simultaneamente, exigências regulatórias. Ele requer um entendimento abrangente da solicitação, olhando as expectativas da empresa sobre a viabilidade do novo projeto, a localização dos dados de origem, se haverá tratamento (layout, formatos e nomenclaturas), o destino da entrega (interno e/ou externo) e um dos pontos mais esquecidos neste engajamento, a medição da performance.

Mesmo parecendo ser trivial e óbvio ter estas informações, notamos como muitas empresas se descuidam, consomem tempo, dinheiro e energia pelo simples fato da indefinição de um plano mestre com um desenho de arquitetura (nem que seja um esboço) que norteie a decisão de como uma solução deveria responder às “dores” de negócio. 

A questão principal nesta breve explanação está em avaliar (antecipadamente) as consequências em não atender os processos de integração de maneira “integrada” (solução única) com visibilidade/rastreabilidade, mas sim “fracionada” (soluções distintas), executando etapas críticas/sensíveis em que os níveis de complexidade aumentam de tamanho em função de customizações em cada aplicação provedora de dados.

Bem, a seleção da melhor solução para o atual momento da empresa dependerá desde a avaliações sobre o retorno do investimento (ROI) e o custo de propriedade do legado (TCO) até o padrão exigido pelo mercado, que mede seus SLAs e a forma como trata a proteção dos dados que são transacionados. Fator de vida e morte dos negócios na atualidade!

O mais importante para reflexão, neste momento, é sobre como deixar o orgulho de lado, reconhecendo que o legado pode ter chegado ao seu máximo – já limitando o crescimento do negócio. E propor uma iniciativa que materialize em números os ganhos que a empresa pode alcançar, seja reduzindo custos e despesas bem como antecipando receita com entrada acelerada de novos clientes e novos produtos.   

E, por fim, já pensou nos impactos e riscos sobre as decisões que está para tomar sobre a implementação de processos de integração B2B e de transmissão de arquivos para atender a órbita de negócios da sua empresa?

Nossas referências são balizadas nas respostas apresentadas pelas soluções IBM Sterling Connect:Direct, IBM Sterling B2B Integrator, IBM Sterling Control Center e IBM Sterling Secure Proxy implementadas em nossos clientes.

André Fabiano de Lima - EBRING

Sobre o autor

André Lima

Diretor executivo da EBRING. Possuo mais de 25 anos de experiência no setor, com sólidos conhecimentos em práticas de governança e gerenciamento COBIT, BSC, PMI, ITIL e ISO.

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Veja também

Sem novas matérias no momento.

Quer saber das novidades?

Esteja sempre a par do que está acontecendo no mundo da tecnologia! Receba nossas newsletters e fique muito bem informado!

Converse conosco

Preencha o formulário, em breve retornaremos o contato.